Escolas privadas apresentam crescimento de 63% no número de trabalhadores com carteira assinada em João Pessoa

Segundo os dados da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), a quantidade de trabalhadores formais empregados nas escolas privadas do ensino básico de João Pessoa cresceu de 63% no período de 2008 a 2017, saindo de um total de 4.311 empregos, para um estoque de 7.023 vínculos de trabalho ao final do período.

O Gráfico 1 mostra que até 2014, o total de profissionais empregados nas escolas privadas de João Pessoa cresceu de forma intensa, atingindo um pico de expansão de 10,12% nesse último ano. Esse incremento gerou em 2014 um total de 562 empregos formais.  A partir de 2015, continua-se a ver um crescimento no emprego nas escolas privadas, porém à taxas decrescentes, registrando em 2017, um aumento de apenas 2,36% (163 empregos) no estoque de trabalhadores.

Esses números mostram que houve um aquecimento na dinâmica de empregos gerados pelas escolas privadas de João Pessoa nos últimos dez anos, todavia, os anos pós-2014 se caracterizaram por apresentar uma redução nesse dinamismo no total de ocupações.

Gráfico 1: Evolução do estoque de trabalhadores formais dos estabelecimentos do ensino básico – João Pessoa, 2008 a 2017

Fonte: RAIS. Ministério da Economia. Secretaria de Trabalho. Elaboração: Econsult

Ao se fazer uma análise por etapas do ensino básico, percebe-se que as escolas privadas que tiveram o maior crescimento no número de empregados foram as da educação infantil. Os dados da RAIS, apresentados na tabela 1, mostram que em 2008, as creches de João Pessoa, empregavam apenas 13 trabalhadores com carteira de trabalho assinada. Essas informações mostram um possível sub-registro na identificação dos empregos gerados nessa modalidade de ensino, que pode ser explicado pelas seguintes hipóteses:

  • No ano de 2008, o baixo registro de empregos formais nessa atividade econômica poderia está indicando a existência de empregos informais;
  • Nesse ano, as escolas que recebiam crianças com até 3 anos de idade poderiam está com seus CNPJs cadastrados em outra modalidade de ensino;
  • Com o passar dos anos, pode ter acontecido uma especialização das escolas nessa etapa de ensino, dado o surgimento de iniciativas privadas exclusivas para o cuidado de crianças com até 3 anos. Os empreendimentos que surgiram passaram a se dedicar exclusivamente para essa etapa de ensino.

Ao longo dos anos, observou-se que as creches foram ampliando seu estoque de vínculos empregatícios, chegando ao ano de 2017 com 485 trabalhadores com carteira de trabalho assinada. Trata-se de um total 37 vezes superior ao registro de 2008.

No que tange as escolas com CNPJ cadastrado na etapa de ensino pré-escolar, nota-se que em 2017 existiam 1.643 trabalhadores formalizados, valor 118% superior ao total registrado em 2008, cujo estoque era de 754 funcionários.

Essa ampliação dos vínculos de emprego das empresas registradas na educação infantil, mostram que as etapas da primeira infância, foram as que tiveram o maior número de contratações ao longo do período analisado. Percebe-se que o ensino infantil (creche e pré-escola) obteve um crescimento de 177,5% entre 2008 e 2017. Esses resultados mostram que essas etapas de ensino se mostraram como as mais atrativas nos investimentos privados na cidade de João Pessoa.     

No tocante as escolas com CNPJ registrado na etapa fundamental de ensino, observa-se um crescimento de 19,5% no número de empregos formais entre 2008 e 2017. Houve um aumento de 2.445 empregos, em 2008, para um total de 2.922 vínculos formais em 2017. Todavia, percebe-se que o maior estoque de trabalhadores foi construido no ano 2015, momento em que as escolas de João Pessoa possuíam 3.166 funcionários formalizados. A partir, desse ano, passa-se a ver uma redução no número de profissionais dessa etapa de ensino, reduzindo 244 postos de trabalhos entre 2015 e 2017.

Gráfico 2: Evolução do estoque de trabalhadores formais dos estabelecimentos do ensino fundamental – João Pessoa, 2008 a 2017

Fonte: RAIS. Ministério da Economia. Secretaria de Trabalho. Elaboração: Econsult

Por fim, constata-se que as escolas do ensino médio também obtiveram um crescimento importante no número de empregos formais, saindo de um total de 1.099 vínculos empregatícios em 2008, para um estoque de 1.973, em 2017, registrando um crescimento de 79,52%. Diferentemente da etapa do ensino fundamental, as escolas do ensino médio de João Pessoa apresentaram um aumento significativo no período pós-2014. Após gerar 230 novos empregos em 2014, essas empresas criaram 242 novas ocupações formais, em 2015, fechando 2017 com mais 176 contratações em todo o município pessoense.

Renato Silva de Assis (Economista)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *